Layback Park Brasília
Layback Park Brasília - Pista original. Ela foi reformada e diminuída

Andar de skate?

Eu ando de skate porque sou apaixonado pela sensação que tenho ao estar em cima de um carrinho, seja descendo uma ladeira seja subindo uma parede numa transição de um bowl ou banks. É bom demais.

Mesmo os tombos que a gente acaba levando têm seu lado bom, já que com eles a gente sempre aprende uma forma melhor de cair de maneira a não machucar, ou até, preferivelmente, conseguimos descobrir o que faltava pra evitar a queda.

Um excelente artigo do site Everskate (em inglês) representa bem o que penso a respeito do que significa andar de skate. A íntegra desse artigo está aqui no SK8 na Veia, traduzido, na seção de blog. Se você quiser ler em português sem precisar ficar procurando, é só clicar nesse link que vai pra ele.

Vale a pena ler!


Um pouco sobre mim mesmo

Meu apelido de quando comecei a andar de skate era Perverso. Há muito tempo que quase ninguém me chama por esse apelido.

Comecei a andar de skate em 1974, e gostava muito de andar na 115 sul, um dos principais picos do skate em Brasília naquela época, no Cine Brasília, na 107 sul, no Setor Comercial e na antiga Piscina Coberta.

Participei do 3º Campeonato da 115, onde ganhei somente experiência.

Parei de andar por volta de 1980, e voltei por volta de 2008. Desde então tenho andado sempre que posso, principalmente no AC Bowl (em Águas Claras, quadra 107), no Layback Park Brasília (pista excelente na beira do Lago Paranoá, perto da Concha Acústica. Está em reforma nesse exato momento, então não sei como ficará depois), na Mini Rampa que era no Previ e agora está no Altiplano Leste (do grande Maninho), no Eixão Norte (aos domingos, quando está fechado para o trânsito), e de vez em quando no Parque da Cidade.

Nesse último já sofri dois acidentes que não quero nada semelhante de novo, então por isso acabo evitando o lugar.