E continua a seca!

Tô aqui, de novo, só na vontade do rolé! E não rola! Já até escrevi por aqui a respeito da vontade que fico quando tenho, por qualquer motivo, que ficar muito tempo sem andar de skate! A vontade bate forte, e me pego frequentemente pensando no rolé que virá. De preferência o mais rápido possível!

Há cerca de duas semanas eu tive que parar de andar de skate por causa de uma crise de ciática que me atacou. Eu brinco, dizendo que velhice é uma merda, mas um conhecido me corrigiu: o que é uma merda não é a velhice, mas o processo de envelhecer! A cabeça continua querendo fazer tudo que fazia, mas o corpo não obedece mais.

Mas não é sobre isso que quero escrever!

Fiquei parado quase duas semanas, fazendo no máximo uns rolés bem suaves, por causa da ciática. Aí, no sábado há uma semana, eu acordei bem, e resolvi ir para o Parque da Cidade para um merecido rolé que já estava demorando. Parei no lugar de sempre, comecei o rolé, e cinquenta metros depois de iniciar, fui dar um slide para desviar de um corredor que vinha na minha direção. Não é que o skate parou de repente! É o que dá usar rodas muito macias: elas até permitem slides, mas a velocidade tem que estar muito alta, ou então o skate freia de repente e pára! Não estava esperando e fui pro chão.

Tombo besta, e graças às munhequeiras não ralei nada nas mãos que estavam bem protegidas. O cotovelo esquerdo começou a encostar no chão, e eu levantei para que não ralasse muito. Nessa levantada a força foi maior que o previsto, e com isso fiz um rolamento para o lado direito, e forcei um pouco o ombro direito. Nada demais, pensei.

Voltei a andar, e depois de meia volta no parque a dor no ombro começou a incomodar. Foi aumentando aos poucos, e quando cheguei no final da volta desisti da segunda. Resolvi ir ao hospital para ver a gravidade da lesão, que estava doendo mais que o esperado. No mapa do rolé dá pra ver o local do tombo, logo depois do início e uma outra parada que já quase no final pra uma pausa e ver se conseguia fazer o braço parar de doer:



Bom, saí do parque e dirigir estava difícil. Telefonei para a Raquel e falei com ela que gostaria de ir a algum hospital para verificar o que aconteceu. Resumindo a história, fiquei no hospital por um bom tempo até ser atendido por um ortopedista que calculou que houvesse alguma lesão no tendão que liga o bíceps ao ombro, e solicitou uma ressonância magnética do ombro.

Só consegui fazer a ressonância na terça-feira passada, e o resultado saiu na sexta-feira. Marquei uma consulta com um ortopedista especializado em ombro para a próxima segunda-feira, amanhã de manhã. Mas, mesmo antes da consulta, sei que vou ter que ficar um tempo sem andar de skate novamente! O resultado deu que tenho as seguintes lesões:

  • Traço de fratura no úmero;
  • Tendinopatia subescapular (lesão do tendão no músculo que faz o braço levantar);
  • Bursite subacromial-subdeltóidea.

Só o tal traço de fratura já faz com que a coisa fique doendo o tempo todo, e a cada movimento mais rápido dói mais. Ou seja, como o braço é fundamental no equilíbrio do rolé, estou no sal! Vamos ver amanhã o que vai dar, e espero que a demora para poder voltar à atividade não seja grande!