Tentando andar no bowl de Águas Claras

Acho que já escrevi isso aqui, mas vai de novo: pouco depois de começar a andar de skate, isso nos idos dos anos 70 do século passado, eu e meus amigos conseguíamos revistas americanas sobre o esporte e ficávamos vendo as fotos e querendo fazer as mesmas coisas que os ídolos de então faziam. Ou melhor, o que achávamos que eles faziam. Afinal, eram fotos, então não dava pra ter certeza como eram as manobras executadas.

Uma coisa era certa: Todos queríamos andar nas piscinas que apareciam na Skateboarder Magazine! Tentando alguma coisa semelhante, eram construídas rampas em madeira, de maneira a ter transições (na época, radicais) que lembravam as piscinas, como está aos 50 segundos desse Super8:



Além dessas rampas, procurávamos por lugares onde seria possível fazer as manobras que queríamos, mas era difícil. Um desses lugares era a então chamada Piscina Coberta, que deixou de ser piscina e virou um ginásio. Atualmente é o Ginásio Claudio Coutinho, e quase sempre que íamos lá havia uma confusão com a administração que muitas vezes terminava com a apreensão dos skates pela polícia. Fotos atuais do lugar:

Ginásio Claudio Coutinho, que na década de 70 era uma piscina coberta.
Ginásio Claudio Coutinho, que na década de 70 era uma piscina coberta.[/caption]

Vista do outro lado do Ginásio Claudio Coutinho.
Vista do outro lado do Ginásio Claudio Coutinho.


Uma visão do Ginásio Claudio Coutinho no Google Maps dá pra ser vista aqui!

Bom, aí chegamos a hoje em dia! Melhorias muitas!!! YEAHHHHHH!!!!!

Hoje existem algumas pistas em Brasília, sendo em mais de uma tem pelo menos um bowl, que dá a mesma sensação daquelas piscinas americanas que víamos nas revistas. A que eu gosto mesmo, até porque é a que mais ando, é a que foi construída em Águas Claras, um bairro razoavelmente próximo de onde moro. Como comecei a andar nesse tipo de pista há muito pouco tempo, quase dá para contar nos dedos das mãos e pés o número de vezes que dei meu rolé, ainda sou muito ruim. Mas, ao mesmo tempo que toda e qualquer evolução é bem vinda, não estou atrás de ser o fera do bowl, mas somente de me divertir muito. E isso consigo, mesmo sem fazer bonito.

Outro dia fui lá e um amigo me filmou andando. Bateu um pouco da síndrome da câmera ligada, situação na qual a gente sempre desempenha pior do que o normal, mas tá bem próximo daquilo que consigo fazer. Ainda vou melhorar, mas sem a menor pressa!

Olha aí:



Vamos ver daqui a algum tempo como foi a evolução!!!