Quase uma vida no skate

Um dos grandes prazeres que tenho tido ao andar de skate é a lembrança que isso tem me trazido de momentos passados que eram muito legais e que estavam escondidos na memória.

Minha adolescência foi marcada pelo skate, pois comecei a andar no carrinho com uns 12 pra 13 anos de idade. Gostava muito de tudo que tinha a ver com skate, comprando sempre que podia revistas importadas sobre o assunto, mantendo-me sempre em dia no equipamento, etc.

Eu acho que tive nessa fase da minha vida pelo menos uns quatro skates, e me lembro bem de alguns deles. O primeiro foi um Torlay, que apesar de ter o nome de venda Torlay de Luxo, era chamado por todo mundo que andava nele de Torluxo de Lixo. As rodas eram de baquelite, que não tinham aderência nenhuma, e o pior, quebravam ao passar em cima de pedrinhas que era facilmente encontradas nos lugares onde a galera se reunia. Rapidamente ele foi delegado à condição de lixo, já que skate sem rodas não serve pra nada!

Logo em seguida um tio fez uma viagem aos EUA, e eu consegui o dinheiro pra pedir pra ele trazer de lá skate novo pra mim. Olhei em todas as revistas que tinha e perguntei a todo mundo que conhecia o que deveria comprar. Entreguei a especificação a ele e até hoje me lembro do que pedi:

Um skate Gordon & Smith com trucks Bennett Pro e rodas Road Rider #4, que eram de rolamentos, e não de bilhas, como era comum na época.

Esperei ansiosamente a volta do tio, já pensando nos rolés com aquele que seria o melhor skate que eu já tinha andado. Ele voltou e eu ainda tive que esperar mais um pouco, já que ele morava em Belo Horizonte, então tinha que vir a Brasilia ou eu ir lá pra pegar o carrinho.

No dia em que ele chegou a Brasilia com o skate foi uma decepção!!!

O vendedor disse pra ele que o skate que eu havia pedido era muito veloz (uma das razões da especificação), e por isso ele resolveu comprar outro que ele não achava tão perigoso.

Só me lembro que comecei a chamar o skates de banana, porque ele era de plástico amarelo, com trucks de marca desconhecida e rodas pequenas de bilhas.

Fui rápido em acabar com o shape e fazer um outro de madeira usando os trucks e as rodas.

Bom, depois escrevo mais sobre essas peripécias!